in

O menino que viu a morte de perto

Eu vejo essa história com uma sensibilidade muito grande pois quando eu era criança, cortei o meu dedo com o canivete do meu pai, deu uma sangradinha e achei que aquele ali era meu fim. Que eu ia morrer que nem um bode.

Dá pra ver nos olhos do menino o desespero e a preocupação com a logística.

“Eu vou morrer HOJE?”

vi no famigerado Não Salvo